Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

Next Step...

O iPhone está lançado e irá espalhar a sua "magia" no resto do mundo em 2008, o Leopard está a menos de 5 dias do lançamento. Os processadores Intel vieram para ficar. A Apple aumentou a quota de mercado, ainda mesmo antes do lançamento do Leopard. Na bolsa, tem prestações muito positivas com uma evolução que merece uma análise atenta. No entanto, apesar dos bons resultados, a Apple mostrou nos últimos tempos uma face desconhecida, que normalmente associamos à rival Microsoft, mas verificamos que a Apple acaba por seguir o seu caminho e consegue o sucesso (e lucro) pretendido.

Mas então, impõe-se a pergunta... Qual será o caminho da Apple no futuro? Qual será a próxima revolução?

O Leopard não é mais que a evolução na continuidade. Pegaram na fórmula de sucesso, reinventaram essa fórmula e acabamos por ter um Upgrade, robusto é certo, mas é somente um Upgrade, não trazendo nada de extraordinário quanto ao Interface, numa altura em que já dispomos da tecnologia Multi-Touch nas nossas mãos, através do iPhone e do iPod Touch.

iPhone - Macbook

Por isso, coloca-se a questão obrigatória:

"Quanto tempo vai demorar a Apple a implementar a tecnologia Multi-Touch no seu sistema operativo nativo na linha de computadores?"

Isto é, estará a Apple a traçar o caminho através da fusão da tecnologia do dispositivo móvel com a tecnologia que já utilizamos nos nossos computadores? Se sim, como será essa revolução? Vai a Apple conseguir impor novos padrões na tecnologia, mas, conseguirá, desta vez chegar às massas?

A Apple já perdeu o comboio uma vez, nos finais dos anos 80 e inicio dos anos 90, sobretudo quando a Microsoft lançou o Windows 95 e conseguiu atingir às massas.

Macintosh Classic

Ainda me recordo de ter participado numa iniciativa da Apple na minha escola preparatória. Recordo-me como se fosse hoje, quando vi a Hall de Entrada da escola, com uma quantidade imensa de Macintosh's, na altura o Classic, embora não possa confirmar exactamente que versão. Também me lembro, diariamente, de ver sempre num canto da capa do jornal Público, o quadrado de publicidade sempre dedicado à Apple.

Apesar de tudo, no início dos anos 90, a Apple estava muito próxima dos utilizadores. Logo, para os fundamentalista da Apple ou da Microsoft, isto já andou equilibrado, ok?

Concluímos então que a Apple tem vindo a tentar recuperar um mercado (que não tinha a dimensão dos dias de hoje), mas tenta também ganhar novos mercados.

Entrou no novo mercado dos MP3 e da Música e ganhou (vamos ver se o sucesso se mantém).

Entrou no mercado dos telemóveis e pelo menos agitou o mercado, até porque não chegou a todo o mundo (oficialmente).

E tenta desde sempre, diria eu, recuperar o mercado dos sistemas operativos e dos computadores, sobretudo a partir de 2000, quando lançou o Mac OS X, de resto, uma viagem no tempo, que já foi recuperada aqui no blog.

A esta distância, a Apple conseguiu criar um sistema operativo robusto o suficiente para rivalizar com qualquer Windows que fosse lançado pela Microsoft. Uma vez que as massas já utilizavam Windows, a Apple enfrentava uma tarefa quase titânica. Então começou a entrar em mercados paralelos, utilizando as plataformas Mac e Windows para chegar até às pessoas, com o seu "gadget" de referência, o iPod. Ou seja, para além de chegar às pessoas,  a Apple conseguiu também penetrar aos poucos na plataforma Windows, com o iTunes e na compatibilidade dos seus produtos.  A Apple, voltava aos poucos a ganhar notoriedade junto das massas e para além dos iPods, a Apple conseguia estabelecer uma estratégia de Cross-Selling, junto dos seus clientes iPod. Isto é, aos antigos utilizadores Mac, juntava os novos iPods e aos utilizadores do iPod juntava os chamados Switchers, utilizadores Windows que passavam para Mac.

E como podemos verificar, a estratégia continua...

A linha de iPods foi renovada e reforçada com o iPod Touch e a eles temos que juntar o apetecível iPhone. Ao demonstrar tanta qualidade e inovação, os utilizadores de Windows vai querer descobrir mais sobre a linha de computadores da Apple e por sua vez, o seu sistema operativo, no qual se baseia o software do iPhone e do iPod Touch. Tendo em conta o fracasso do Windows Vista e a notória redução de preços dos produtos Apple, nomeadamente dos MacBooks e iMacs, parece-me natural esta aproximação dos utilizadores Windows aos produtos Apple.

Depois, há sempre o chamado "Boca-a-Boca". Se tivermos um amigo completamente fanático de Mac e Apple, naturalmente vamos dar uma especial atenção aos produtos Apple e se calhar vamos até comprar algum produto da Apple, seja um iPod, um iPhone, a Apple TV ou até mesmo um Mac. No meu caso, a paixão começou a ser alimentada pelos Podcasts e de que forma era possível criar um podcast através de um Mac e as dificuldades que podiam surgir se fosse criado no Windows. A partir daí, fui descobrindo um mundo completamente diferente daquele que estava habituado, um mundo que nos fornece uma experiência de utilização de um computador pessoal, completamente diferente. Por isso, para terminar, não querendo alimentar guerras que não fazem sentido, gostaria de deixar algumas notas finais, em relação à minha experiência com o MacBook e o Mac OS X:

- Desde Junho, por uma única vez tive que reiniciar com o botão On/Off e só deu um "erro fatal" igualmente uma única vez.

- Já fiz diversos updates, nomeadamente do iLife e iWork e o Macbook continua tão rápido, como no primeiro dia, quer a arrancar, quer no encerramento.

Portanto, posso considerar a experiência é extremamente positiva.

Para terminar, gostaria de referir ainda que, estamos, acho eu, a viver uma época peculiar, uma vez que estamos a viver uma espécie de ciclo mais favorável que pode ter começado "oficialmente" com o iPod Quick Wheel e o iMac branco que foi comercializado até ao passado mês de Agosto, isto é, em 2004, precisamente quando a curva do título da Apple na bolsa tem uma evolução positiva até aos dias de hoje.

Apple Inc

Nem a propósito é hoje mesmo que a Apple vai anunciar os resultados do último trimestre num Webcast que começará por volta das 22h (hora portuguesa). Existe uma enorme expectativa, porque o este último relatório, irá incluir as vendas do iPhone, bem como o período de regresso às aulas que potencia o aumento de venda de Macs. Se acrescentarmos o aumento da quota de mercado da Apple, são esperados números muito interessantes no anúncio de hoje.

Pena não ser um dos accionistas...
publicado por Phil às 13:02
link do post | comentar |

Creative Commons License

1 comentário:
De ArmPauloFerreira a 23 de Outubro de 2007 às 14:25
É deste tipo de artigo que mais aprecio: a opinião e a argumentação. Os mais difíceis de parir, requerem estudo e saber mas no fim são gratificantes para quem os lê e muito mais para quem os faz. Como se fosse um exorcismo pessoal...
Noticiar as novidades e o que toda a gente sabe é banal. Relatar experiências, pontos de vista, opiniões e até dicas para melhorar o nosso dia-a-dia... é outra conversa.

É sempre difícil comentar o percurso da Apple sem estar in love, embora a Apple tenha vindo a crescer consistente e positivamente com traços evidentes de um crescimento sustentado em produtos que fazem orgulhar quem os tem, quer seja Macs, iPods e afins ou Mac OS X e software, todos devolvem ao utilizador uma experiência de cuidado nos pormenores sem igual que gratifica e faz querer mais.
E um post deste calibre tem uma obrigação: faz mais!

Comentar post


Contacto E-Mail



Adeus, Bom Ano Novo e Até...

Tudo o que começa...acaba...

Apple Stores

iMac Touchscreen

Primeira Encomenda - Fina...

Aí estão os primeiros núm...

Últimas do iPhone...

Primeira Encomenda - Upda...

Auch!! Essa Doeu!!

Primeira Encomenda





Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

blogs SAPO